As Peripecias de Albertine Henslie – Parte XX

take_my_hand_by_kerpele-d4a3aji

– Pode soltá-la! Sei que você não tem a intenção de machucar ninguém aqui…

Ela soltou Ama Dee imediatamente.

– Muito bom, Albertine! Vejo que você tem recuperado o tempo perdido!

– Acho que não tive tempo pra isso ainda… O que você quer?

– Preciso da ajuda de vocês!

– Nossa ajuda? – Perguntou Seun grosseiramente.

– Não se intrometa garoto… E sim, eu preciso. Tenho que deter Gedor.

– Por que iria querer detê-lo? – Questionei.

– Tenho minhas razões pessoais. Preciso falar com seu pai…

– Razões pessoais? Provavelmente quer matá-lo e se apossar do trono e, francamente… falar com meu pai? Você acha mesmo que ele falaria com você?

Foi então que os olhos de minha mãe passaram por cima de meus ombros e o foco dela deixou de ser eu. Olhei para trás e vi meu pai em pé, ao lado da porta.

– Lia!

Ela ficou em silêncio. Todos ficamos! Sentia a tensão entre tudo e todos no ambiente. Não ousei nem me mover neste momento em que os dois se encaravam. Meu pai, então, caminhou e ficou parado em frente a ela.

– O que quer aqui? Como entrou?

– Preciso de ajuda!

Os dois continuavam se olhando daquela mesma forma, como se não pudessem desviar o olhar um do outro por um segundo se quer. Ele segurou a mão dela e lhe respondeu com a cabeça positivamente. Vi os olhos de minha mãe marejarem. Ela estendeu a outra mão e acariciou o rosto de meu pai e as lágrimas lavaram sua face.

– Perdão, Medin! Perdão… Serei eternamente grata por alcançar seu favor!

Ele encostou o indicador em seus lábios interrompendo a fala e a abraçou, repousando gentilmente a cabeça dela contra o peito, enquanto ela pranteava sofridamente.

Eu acabei intervindo:

– Calma! Depois de tudo, você vai aceitá-la de volta? O que está acontecendo aqui?

Meu pai olhou para mim, puxou uma cadeira e fez Lia se sentar. Agachou-se em frente a ela e disse:

– Lia, eu vou lhe dar toda ajuda de que precisa, mas antes você deve mostra tudo a Albertine!

Ela acenou com a cabeça, levantou-se, veio até mim e segurou minha mão e de repente, tudo ao meu redor começou a se desfazer.

Por Tauany Farias

Coisa e Tau e Tau e Coisa

Não leu a parte anterior? Então acesse: As peripécias de Albertine Henslie XIX

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s